Garota grávida foi morta com 80 facadas

 
 
 
Rio do Sul
 
Um adolescente de 16 anos confessou ter assassinado a facadas Natália Pinheiro Eger, da mesma idade, após a garota ter contato que estava grávida. O crime aconteceu na noite de quarta (25) em Rio do Sul. O Instituto Médico Legal atestou que a menina foi morta com 80 facadas no pescoço, rosto, braços e nas costas.
A mãe da garota chegou a registrar um boletim de ocorrência na manhã de quinta sobre o desaparecimento da filha que saiu de casa na noite anterior com o propósito de contar ao suspeito que estava grávida de quase três meses.
Segundo a Polícia Civil, o adolescente tinha uma namorada há dois anos e havia se envolvido com Natália em um breve período em que o relacionamento foi rompido. Aos policiais, ele disse que, por medo de que a namorada soubesse da gravidez, matou a adolescente.
 
O crime
 
 
Conforme os policiais, o garoto relatou que ao chegar à casa dele, Natália falou da gravidez e os dois discutiram. O jovem pegou uma faca grande de cozinha e feriu o pescoço da menina.
Depois, convenceu Natália a irem até a casa da avó dele para cuidarem do ferimento. Ele, no entanto, já havia planejado tirá-la da casa para cometer o assassinato. Assim, levou-a até o matagal onde deu outras 79 facadas e a matou, abandonando-a.
 
Suspeito
 
Os policiais relataram que desconfiaram do garoto, pois ele tinha um corte profundo em uma das mãos, que disse ter feito ao cortar pão. Para remediar a lesão, ele pediu ajuda a um primo que o levou ao hospital.
 
Depois de confessar o crime, o garoto levou os policiais a um matagal no bairro Eugênio Schneider, onde o corpo foi encontrado por volta das 15h30min de quinta. O corpo de Natália foi liberado do IML às 19h e foi sepultado na manhã desta sexta-feira (27) no cemitério municipal de Rio do Sul, segundo a Polícia Civil.
 
No centro da cidade, ele jogou o telefone de Natália em uma lixeira, onde mais tarde, levou os policiais para resgatarem o aparelho que deve ser anexado às provas do crime. Sem histórico policial
 
Conforme a Polícia Civil o garoto não tem nenhum histórico de infração, “é estudioso e trabalhador”. O inquérito deve ter continuidade para averiguar se ele teve ajuda de mais alguém para cometer o crime.
 
O adolescente foi apreendido e levado para o Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) do município. De acordo com a polícia, o garoto deve ser julgado em até 45 dias.
 
 
G1

Homic%c3%addio

Fonte: G1

Linha

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425