Pagamento a Pato causa incômodo no São Paulo

Não é só os três meses de direitos de imagem atrasados que deixaram os jogadores do São Paulo descontentes. Também não pegou bem no elenco a diretoria ter quitado os valores devido a Alexandre Pato e esse foi um dos motivos da reunião de sexta-feira, em que alguns atletas cobraram os dirigentes.

A diretoria do São Paulo pagou três meses de imagem ao atacante (cerca de R$ 300 mil), temendo a ação movida pelo jogador na Justiça contra o Corinthians e, consequentemente, contra o Tricolor, ao qual está emprestado até dezembro deste ano - os dois clubes dividem igualmente os vencimentos do atleta, R$ 800 mil mensais.

Os salários em carteira de todos do grupo estão em dia, mas a parte referente à imagem completará quatro meses de atraso no próximo dia 10. O São Paulo confirma o tempo de atraso e o pagamento feito a Pato. O Corinthians, por sua vez, quitou dez meses de atrasados do atacante, mas ao mesmo tempo pagou parte do devido ao restante do elenco. O Tricolor não fez o mesmo e o grupo continuou com o mesmo tempo de atraso, enquanto um jogador apenas estava com a situação resolvida.

Neste domingo, após a goleada sofrida para o Palmeiras por 4 a 0 no Allianz Parque, Pato falou sobre o assunto, justificou sua ação na Justiça e disse que em nada mudou sua postura em campo por conta dos atrasos. "Eu fui buscar meus direitos. Pessoalmente, eu contratei um advogado, mas falo por mim, não falo pelos outros. Não está alterando em nada, se está atrasado, eu não sei. Isto é de cada jogador, eu tento sempre jogar. Eu contratei pessoas para fazerem isto para mim. Meu foco é no futebol", afirmou.

O volante Souza recebe todo seu salário na carteira, portanto não tem atrasos, mas deu uma versão para garantir que o problema não interfere dentro de campo. "Os salários não estão atrasados desde hoje. Ganhamos do Flamengo, do Santos, Chapecoense fora. Tivemos um acidente contra o Avaí, e tomamos o empate, mas deveríamos ter vencido, porque tivemos um volume bom. Isto não interfere em nada. Muito fácil falar que o resultado está em cima dos atrasos. Os atrasos existem, o presidente mesmo falou, mas em momento algum a gente está deixando de jogar por isto. O Palmeiras foi melhor, temos de admitir e melhorar", afirmou.

A promessa da diretoria é de pagar todos os débitos assim que o dinheiro da venda de Rodrigo Caio ao Valencia (ESP) cair. No entanto, os dirigentes já admitem que a negociação não foi sacramentada e a situação gera temor na cúpula e entre os atletas. Há versões desencontradas sobre o motivo de Rodrigo ainda não ter sido anunciado como reforço do clube espanhol. O São Paulo ficou de receber cerca de R$ 44 milhões à vista pelo jogador, mais R$ 14 milhões em bônus no futuro, desde que o jogador atinja metas.

Pato

Fonte: Correio do Povo

Linha

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425