Dois catarinenses estão na lista dos 10 criminosos mais procurados

Duas pessoas de Santa Catarina estão na lista dos 10 criminosos mais procurados pela Interpol — Organização Internacional de Polícia Criminal no Brasil. Silvana Seidler, 49 anos, e Oswaldo Paz de Almeida Junior, 64, são considerados foragidos por crimes cometidos no Estado e fazem parte do quadro que foi feito pela primeira vez pela elite da Polícia Federal (PF) no país, que integra a polícia internacional.

O grupo foi selecionado a partir dos 44 mil nomes de pessoas consideradas foragidas pela polícia internacional, que atua em 190 países.

Antes de desaparecer, Silvana Seidler chegou a acompanhar o ex-marido e pai de Carol, Gilson Calegari, no registro do boletim de ocorrência pelo sumiço da filha. Ela foi vista pela última vez duas horas antes de a polícia encontrar o corpo da menina na casa.

No dia 19 de março de 2015, o inquérito foi concluído e o delegado Rubem Teston, da Delegacia de Investigação Criminal (DIC) de Tubarão, indiciou Silvana por homicídio como crime hediondo pela asfixia por esganadura e meio cruel de ocultação de cadáver. Apesar das investigações, a acusada segue desaparecida.

Procurado por abuso contra os filhos

O crime cometido por Oswaldo Paz de Almeida Junior também envolve os filhos. De acordo com a Polícia Federal, ele é acusado de assédio sexual contra duas de suas filhas menores, sendo que uma delas é portadora de deficiência física. A PF diz que o procurado constrangeu as meninas "à prática de atos libidinosos mediante violência e grave ameaça de cunho moral". Os crimes foram cometidos em Itajaí.

Oswaldo também teria praticado atos violentos contra seu filho, menor de 18 anos, com episódios de agressões físicas que puseram em risco sua saúde.

Selecionados criteriosamente

Na reportagem do Fantástico, o representante da Interpol no Brasil explicou os critérios usados para incluir as 10 pessoas entre os mais procurados e destacou que a busca se dá também pelos tipo de crimes cometidos por elas:

— Fizemos uma análise que levou em consideração o tempo da pena a que a pessoa foi condenada, o tipo de delito que ela cometeu, o tempo de prescrição do crime e chegamos ao resultados desses 10 mais procurados — explicou na reportagem do Fantástico o chefe da Interpol no Brasil, Valdecy Urquiza Júnior.

Via assessoria de imprensa, a PF ainda esclareceu que não necessariamente por serem mais procurados é que os foragidos têm mais importância nos trabalhos de busca. Por outro lado, eles são considerados mais relevantes dentro do cerca de 400 foragidos brasileiros que estão na lista da Interpol.

Para ser incluído no quadro de procurados da polícia internacional, é preciso autorização judicial e também permissão da chefia da Interpol, em Lyon, na França, pois os padrões do caso devem estar dentro dos padrões da corporação. Além disso, a PF considera que, além dos crimes cometidos, os procurados representam riscos à sociedade independente do delito que cometeram.

Dentro da lista estão acusados de crimes como sequestro, tráfico internacional de pessoas e corrupção. Os procurados enquadram o quadro de foragidos da Interpol pela possibilidade de eles terem saído do país.

Como denunciar

 

Os 10 mais procurados do Brasil pela InterpolFoto: Polícia Federal / Reprodução

Para denunciar, a Polícia Federal lançou recentemente um aplicativo para smartphones e tablets. O CheckPol permite ao cidadão ter acesso a informações de foragidos procurados pela Interpol e é o único do gênero no mundo. Atualmente, o aplicativo está disponível na loja de aplicativos da Google Play e em abre estará também na Apple Store.

Pessoas que tenham informações de procurados também podem denunciar pelo WhatsApp no (61) 99262-8532 e no e-mail procurados@dpf.gov.br.

Foto: Divulgação / Polícia Fderal

 

Diário Catarinense

Catarinenses

Fonte: Diário Catarinense

Linha

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425