Homem é preso em Xaxim por estuprar a filha

Xaxim - Por vota da 21h00 desta sexta -feira (18) Polícia Civil de Xaxim cumpriu mandado de prisão no Bairro Alvorada contra G. P. 36 anos , por estuprar a filha de cinco anos de idade. O homem já está no presídio de Xanxerê.

Anos atrás quando era casado com outra mulher, ele matou uma outra filha de três anos a borrachada e utilizando um cabo de vassoura, crime ocorrido em Treze Tilias. O homem cumpriu pena de doze anos.

Relembrando o caso 
A Notícia Quinta-feira, 14 de julho de 2005

Menina de 3 anos agredida
pelo pai morre no hospital

Madrasta teria sido conivente com sessão de tortura em casa

Treze Tílias - A crueldade de um pai e da companheira seria responsável pela morte de uma menina de 3 anos. O agregado G.P, na época 25 anos, e a madrasta V. P com 21, são acusados de espancar a menina até a morte, com requintes de crueldade. O caso veio à tona ontem, quando o exame cadavérico da criança apontou que ela morreu em decorrência de traumatismo craniano e não por afogamento, como eles tinham dito inicialmente. 
Na quinta-feira da semana passada, ela havia sido internada no hospital Santa Terezinha, de Joaçaba, com quadro de hipotermia e convulsões, supostamente provocadas por ter caído em uma caixa de água e ter ficado ali algum tempo, exposta ao frio intenso. Na última segunda-feira, morreu, e os hematomas que tinha pelo corpo denunciaram que algo mais havia acontecido. Ontem pela manhã, o pai e a madrasta prestaram esclarecimentos na delegacia, quando admitiram o espancamento.

A vitima foi protagonista de sessão de tortura patrocinada pelo casal. Ela estava há um mês morando junto com o casal na localidade de São Bento, interior do município de Treze Tílias, entregue pela mãe, que mora em Balneário Camboriú. Desde então, passou a ser alvo de surras e castigos constantes. Na quinta-feira, foi espancada porque estava comendo mortadela demais, o estopim para a confusão. O pai acusa a madrasta de ter espancado a menina e a mulher devolve as acusações.

Para a polícia, está claro que ambos tiveram participação no crime, resta saber qual dos dois foi mais ativo. O pai admite que surrava a menina com freqüência e que naquela noite esfolou seu rosto no chão bruto do banheiro, porque ela havia vomitado. A madrasta confessa que assistiu a tudo. Depois de ter o rosto esfolado, a menina ainda foi obrigada a tomar água com sal e foi molhada com água fria. Depois foi espancada na cabeça com um cabo de vassoura.

A crueldade a que foi submetida foi tão grande que começou a ter convulsões. Nem isso sensibilizou o casal, que continuou com a sessão de tortura com chutes e cabeçadas contra a parede. Só quando a criança estava quase morta foi levada para o hospital, onde o casal inventou que ela teria caído dentro do reservatório de água, por isso estava naquele estado. Ambos tiveram prisão preventiva decretada.

SINAIS DE UM CRIME

Na casa onde o crime aconteceu, ontem à tarde era possível ver sinais da tragédia. A avó paterna da menina, que cuidou dela até um mês atrás, parecia não acreditar no que havia acontecido. Ela admitiu, entretanto, que o filho é viciado em crack, revelação que para a polícia pode explicar parte do crime. Outra hipótese é o ciúme que a madrasta tinha da criança. No banheiro onde a menina foi torturada, o chão de piso bruto dá dimensão dos ferimentos que teve.

AS VERSÕES DO CASAL

A Notícia: O que aconteceu? 
V. P: A menina tinha comido mortadela e pediu mais. Ele viu que eu dei e ficou bravo. Obrigou ela a comer vários pedaços de mortadela com pimenta e mandou pro banheiro. Lá ela vomitou. Ele esfregou o rosto dela no vômito e obrigou a beber água com sal. Com o cabo de vassoura, bateu na cabeça da menina e depois molhou ela com água fria.

A Notícia: E quem inventou a história da queda na caixa? 
Valdicéia: Foi ele. Inclusive me ameaçou. Eu não falei nada porque ele podia me matar. Quando eu estava grávida, ele me surrou 10 vezes. Ele batia nela sempre.

A Notícia: Você nunca bateu nela? 
Valdicéia: Nunca. Ele é que vivia castigando a menina. No dia que ela ficou mal, ele deu vários chutes e jogou a menina de cabeça na parede.

A Notícia: O que aconteceu?

G.P: Minha mulher encheu a a criança de mortadela e me mandou dar banho nela. No banheiro, ela vomitou e eu passei o rosto dela no vômito. Depois dei um banho frio nela, porque ela vomitou.

A Notícia: Foi um castigo?

G.P: Sim, foi castigo. Depois levei ela pra perto do fogão para se esquentar, mas ela começou a passar mal. Inventei a história da caixa de água porque fiquei com medo.

A Notícia: Quem espancou a menina?

G.P: Eu não fui. Ela tinha medo da mãe

A Notícia: Você batia sempre nela?

G.P: Batia. Por culpa dessa mulher maldita.

 

Fonte : A Notícia Quinta-feira, 14 de julho de 2005

Plantao de policia

Fonte: Jornalismo Rádio Cultura / Alvaro Busetto

Linha
Player de Streaming

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425