Homem é condenado a 18 anos e 8 meses de prisão

 
 
 
Coronel Freitas -Em clima de exaltação e comoção foi realizado o julgamento de Valdecir Carlos Mazo,iniciou as 8 e finalizou às 21 hs.
Na parte da manhã foram ouvidas as testemunhas de acusação,defesa e o réu.
 
Em lágrimas os dois filhos que foram ouvidos relataram que o pai era muito violento e humilhava eles e a mãe,vítima Elza de Oliveira.Segundo eles o crime foi premeditado,pois o pai não tinha costume de levá-los até o ponto de ônibus para irem à escola e no dia do crime fez questão de acompanhá-los para ter certeza que ficaria sozinho com a vítima.
 
Valdecir Mazo por sua vez falou que ele que era humilhado,pois se sentia uma capacho e "cachorrinho"da esposa.Assumiu que matou mas foi em legítima defesa,pois a mesma era muito violenta e por diversas vezes apanhou calado sem prestar queixa por amor a família.
 
Por algumas vezes pai e filhos se exaltarão tendo a intervenção do juiz Dr.Daniel Lisboa Mendonça.
 
Na parte da tarde o promotor Dr, João Paulo de Andrade realizou os procedimentos de acusação,enfatizando que o réu era agressivo e matou a vítima covardemente impossibilitando a mesma de defender-se.
 
Foram exibidas fotos "chocantes"da vítima do dia do crime.
 
A defesa realizada pelo Dr. De Ré e dois advogados auxiliares usaram a tese de legítima defesa,pois Mazo teria agido sobre forte emoção após muitos anos de sofrimento,foi informado também que a família tinha vida de classe média alta,pois possuía vários celulares de última geração,tabletes e computadores,tudo fruto do trabalho dele e a esposa em aviários na granja Tecchio.
 
Outro ponto forte relatado pela defesa é que Elza de Oliveira,possuía 8 cachorros e cinco gatos,todos dentro de casa e bem tratados,melhor que o próprio Mazo,pois a vítima dormia com os animais e não com o esposo já fazia algum tempo,por muitas vezes alimentava melhor os bichos do que os filhos.Segundo a defesa essa situação foi se agravando entre outras relatadas,chegando no crime cometido pelo cliente.Que naquela manhã foi Elza que agrediu o esposo com uma faca,ele foi se defender e na hora do transtorno emocional acabou matando.
 
Após a réplica e a tréplica,os jurados realizaram a votação,sendo descaracterizado o crime de Feminicídio.
 
Valdecir Carlos Mazo foi condenado a 18 anos e 8 meses por Homicídio Duplamente Qualificado,Motivo Fútil,impossibilitando a vítima de defender-se.Ele irá cumprir pena em regime inicialmente fechado,sendo que já se encontra preso no Presídio de Chapecó.
 
Foto e fonte:Joraci de Lima / Site Joraci NotíciasEm clima de exaltação e comoção foi realizado o julgamento de Valdecir Carlos Mazo,iniciou as 8 e finalizou às 21 hs.
Na parte da manhã foram ouvidas as testemunhas de acusação,defesa e o réu.
 
Em lágrimas os dois filhos que foram ouvidos relataram que o pai era muito violento e humilhava eles e a mãe,vítima Elza de Oliveira.Segundo eles o crime foi premeditado,pois o pai não tinha costume de levá-los até o ponto de ônibus para irem à escola e no dia do crime fez questão de acompanhá-los para ter certeza que ficaria sozinho com a vítima.
 
Valdecir Mazo por sua vez falou que ele que era humilhado,pois se sentia uma capacho e "cachorrinho"da esposa.Assumiu que matou mas foi em legítima defesa,pois a mesma era muito violenta e por diversas vezes apanhou calado sem prestar queixa por amor a família.
 
Por algumas vezes pai e filhos se exaltarão tendo a intervenção do juiz Dr.Daniel Lisboa Mendonça.
 
Na parte da tarde o promotor Dr, João Paulo de Andrade realizou os procedimentos de acusação,enfatizando que o réu era agressivo e matou a vítima covardemente impossibilitando a mesma de defender-se.
 
Foram exibidas fotos "chocantes"da vítima do dia do crime.
 
A defesa realizada pelo Dr. De Ré e dois advogados auxiliares usaram a tese de legítima defesa,pois Mazo teria agido sobre forte emoção após muitos anos de sofrimento,foi informado também que a família tinha vida de classe média alta,pois possuía vários celulares de última geração,tabletes e computadores,tudo fruto do trabalho dele e a esposa em aviários na granja Tecchio.
 
Outro ponto forte relatado pela defesa é que Elza de Oliveira,possuía 8 cachorros e cinco gatos,todos dentro de casa e bem tratados,melhor que o próprio Mazo,pois a vítima dormia com os animais e não com o esposo já fazia algum tempo,por muitas vezes alimentava melhor os bichos do que os filhos.Segundo a defesa essa situação foi se agravando entre outras relatadas,chegando no crime cometido pelo cliente.Que naquela manhã foi Elza que agrediu o esposo com uma faca,ele foi se defender e na hora do transtorno emocional acabou matando.
 
Após a réplica e a tréplica,os jurados realizaram a votação,sendo descaracterizado o crime de Feminicídio.
 
Valdecir Carlos Mazo foi condenado a 18 anos e 8 meses por Homicídio Duplamente Qualificado,Motivo Fútil,impossibilitando a vítima de defender-se.Ele irá cumprir pena em regime inicialmente fechado,sendo que já se encontra preso no Presídio de Chapecó.
 
 

Coronel

Fonte: Foto e fonte:Joraci de Lima / Site Joraci Notícias

Linha

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425