Chapecoense - Girotto recebeu cartão nos últimos sete jogos

 

Cartões são normais para jogadores de marcação, mas o histórico recente de Andrei Girotto chama atenção. O volante da Chapecoense recebeu advertências nos últimos sete jogos que esteve em campo. O número é alto, mesmo para um marcador, mas o principal problema está na recomposição do meio-campo de Mancini caso o jogador fique suspenso.

Andrei Girotto é o principal homem de marcação no meio-campo verde e branco. Após a lesão de Amaral, em março, e a entrada de Luiz Antonio na equipe titular, o camisa 8 assumiu a função de primeiro volante. Muito bem, aliás. O problema está nos cartões.

O jogador foi advertido em suas últimas sete partidas pela Chapecoense. Com 11 cartões na temporada, oito foram nos últimos jogos. Expulso duas vezes, o volante foi desfalque em um dos duelos da final estadual e também contra o Zúlia, na Libertadores. Somado a isso, foram seis cartões amarelos - dois no Brasileirão, o que o deixa pendurado.

- No Catarinense tive poucos cartões, aconteceu de tomar alguns nos últimos jogos, mas acho que é normal dentro da minha posição, porque tenho que fazer o trabalho de marcação. Às vezes o amarelo é a favor da equipe, matando a jogada, um contra-ataque e isso quem sofre é a gente que está ali na marcação. Faz parte do jogo e quando tiver que tomar, vou tomar para ajudar o time a vencer - afirmou o volante durante a semana.

A principal preocupação está na recomposição do meio-campo. Com Moisés Ribeiro e Amaral no Departamento Médico, restam poucas opções em um caso de suspensão de Girotto. Mancini chegou a utilizar Nathan improvisado na função quando Girotto esteve fora na final do Catarinense, mas o zagueiro também está lesionado. Moisés Gaúcho é outra opção, mas o volante atuou em apenas quatro jogos na temporada. Para evitar um problema na equipe, cabe ao treinador uma conversa com o atleta.

- O Girotto se a gente analisar a conduta dele em campo, é o único homem de marcação que tenho. O Luiz Antonio é um segundo homem de meio-campo. Então às vezes ele (Girotto) fica sobrecarregado e a gente entende o número de cartões que ele tem tomado. Lógico que sempre serve a gente sentar com o jogador, explicar que tenho que contar com ele e que então o número de cartões tem que diminuir - analisou Vagner Mancini.

Os cartões, no entanto, não ameaçam a titularidade de Andrei Girotto e nem o deixam em descrédito com a torcida. O jogador é um dos mais regulares da Chape. Seguro defensivamente e com boas subidas ao ataque, o volante marcou o gol da vitória sobre o Zulia, na última terça. Além disso, cumpre uma importante função tática na equipe, marcando, geralmente, o principal articulador de jogadas dos adversários.

Na próxima segunda, pelo Brasileirão, a Chape encara o Avaí e busca uma vitória para confirmar o bom início de campeonato. No estadual, contra o Leão, Girotto computa um cartão vermelho e também um gol marcado. Resta saber se no próximo confronto o volante terá mais a comemorar ou a lamentar.

 

 

 

Chape

Fonte: Por Eduardo Florão, Chapecó, SC

Linha

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425