PF desarticula quadrilha que atuava ilegalmente no mercado financeiro

 

A Polícia Federal realizou na manhã desta quarta-feira (11) a operação Colinas de Rocha, que tem o objetivo de desarticular um grupo empresarial criminoso que atuava no mercado financeiro. Foram cumpridos nove dos dez mandados de prisão preventiva e 17 mandados de busca e apreensão nos estados do Pará, Amapá, Tocantins e Santa Catarina.

 

No Pará a ação foi realizada em Belém e Marituba, na região metropolitana; Breves, no Marajó; e Oeiras do Pará no sudeste do estado. Cinco pessoas foram presas e outras seis são ouvidas na PF. Entre os presos, estão o ex-gestor do Fundo Previdênciário e do ex-prefeito de Oeiras do Pará.

 

Essa fase encerra as investigações sobre a gestão fraudulenta do Fundo de Previdência de Oeiras do Pará, onde a PF descobriu a apropriação indébita de fundos de R$ 14.865.000 milhões, quantia equivalente a mais da metade dos recursos do instituto de previdência do município.

 

A Polícia Federal identificou ainda, no decorrer das investigações, a existência de indícios de corrupção passiva e lavagem de dinheiro praticado pelos investigados.

A primeira fase da operação, batizada de Olho de Tandera, foi deflagrada em setembro de 2017. Segundo a Polícia Federal, a quadrilha captava recursos de institutos de previdência de servidores municipais para aplicação no Sistema Financeiro Nacional.

Operaacopf

Fonte: G1 PA, Belém

Linha
Player de Streaming

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425