Eleições 2018

#EleNão: elite de esquerda era maioria em protesto contra Bolsonaro em SP, aponta pesquisa da USP

Pesquisa da USP feita entre manifestantes que foram ao ato #EleNão, em São Paulo, indica que composição foi homogênea, com maioria de esquerda, branca e com escolaridade e renda elevadas.

Havia uma expectativa de que os protestos convocados por mulheres para este sábado em todo o Brasil contra o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) uniriam diferentes forças políticas, demonstrando que o rechaço ao militar reformado parte de diferentes segmentos sociais.

Dezenas de milhares de pessoas foram as ruas em cidades de todos os Estados do país, sob a bandeira comum do #EleNão. Ao menos em São Paulo, porém, a multidão que lotou o Largo da Batata, na zona oeste da cidade, tinha um perfil bastante homogêneo.

Segundo levantamento realizado pelo Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas para o Acesso à Informação da USP (Universidade de São Paulo) adiantado com exclusividade à BBC News Brasil, a maioria dos presentes era de esquerda, branca e com escolaridade e renda elevadas.

"Desde a época do impeachment (2016) que não víamos manifestações tão grandes e em todo o território nacional. Foi impressionante, mas foi muito homogêneo", destaca um dos responsáveis pela pesquisa, o filósofo da USP Pablo Ortellado.

"Eu acho que manifestação ajuda a consolidar uma rejeição que já é alta (contra o Bolsonaro), mas, como não teve diversidade política, eu tenho dúvida se consegue impedir que algumas pessoas que estavam oscilando entre aceitar ou não Bolsonaro deixem de aceitá-lo", acrescentou.

Foto: AFP

Elenao

Fonte: BBC

Linha
Player de Streaming

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425