Inter combate ansiedade para cumprir estratégia na final

Inter pisará o gramado da Arena Baixada nesta quarta-feira, às 21h30, com o bi da Copa do Brasil como obsessão a guiar seus esforços no duelo de ida da final, contra o Athletico-PR. O Colorado alimenta o sonho de erguer um título nacional pela primeira vez em 27 anos. Mas adota a "leveza" como mantra para assimilar o peso de todos os simbolismos que envolvem a decisão.

Às vésperas dos jogos mais importantes do ano, Odair Hellmann combina os trabalhos em campo com conversas, apoio dos atletas mais experientes e até "remédios" - uma brincadeira, diga-se. Tudo para controlar a ansiedade e poder executar com naturalidade a estratégia traçada para os primeiros 90 minutos da final.

Nada resume os esforços do treinador para ter o grupo "leve" tão bem quanto seu discurso após a vitória sobre o São Paulo, no último sábado. No vestiário do Beira-Rio, Odair tomou a palavra e se dirigiu aos jogadores em um tom enérgico, de motivação total:

- Vamos continuar com esse foco. Essa energia positiva, segunda-feira eu quero todo mundo de peito para cima, energia positiva, contagiando o companheiro. Nós vamos para uma viagem juntos. Qualquer situação que a gente passe, vamos superar em nome do nosso objetivo. Agora não tem tempo para coisa ruim. Não tem tempo para nada. Vamos fazer a diferença lá - disse o treinador.

Minutos mais tarde, na sala de coletivas do estádio, Odair já transparecia essa leveza, mesmo na iminência de comandar o Inter na sua primeira final nacional em um ano e nove meses de carreira. O técnico brincou que só conseguiria manter a tranquilidade com "remédios para dor de cabeça e para dormir".

E foi além. O treinador disse que o momento é de dar atenção ao fator emocional como antídoto à ansiedade. Neste contexto, atletas experientes e vencedores como Rafael Sobis, D'Alessandro e Guerrero são armas com conselhos e conversas com os mais novos do elenco.

 

- São detalhes mínimos que fazem diferença. O que a gente precisa é ter ansiedade, mas não pode travar músculo, tomada de decisão. Leveza para que consiga fazer no jogo aquilo que faz no dia a dia. Quando você consegue isso, consegue produzir a característica com naturalidade - destaca o técnico.

As palavras inflamadas do treinador ressoaram com efeito positivo no grupo para iniciar a preparação para a final. De acordo com o goleiro Marcelo Lomba, o momento é de se apegar à união e manter a rotina habitual que antecede os jogos.

- Toda essa motivação que o Odair passou para nós é do fundo do coração. Mexeu muito com a gente. O ambiente não foi construído agora. São jogadores que se conhecem. Eu vejo a gente muito unido, muito próximo. A experiência não é colocar algo a mais. É ficar no seu normal, no seu habitat. Eu vejo o grupo tranquilo, no foco. É fazer o que sempre faz - afirma.

 

 

 

 

Eeekjcrwsaemhcw

Fonte: GloboEsporte.com

Linha
Player de Streaming

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425