Restrições nos fins de semana devem ser reduzidas para SC

O governador Carlos Moisés (PSL) avalia a redução de medidas restritivas aos fins de semana em SC. Contudo, uma decisão final depende ainda da reunião do Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes) nesta quarta-feira (17) e de novas decisões da Justiça. Em entrevista ao jornalista Raphael Faraco, da NSC TV, o gestor ponderou que a população precisa aprender a conviver com o vírus e que além da saúde, setores como a educação precisam ser ouvidos.

— A gente tem discutido com o grupo e pela leitura diária que nós estamos fazendo [...] De acordo com essa leitura é que nós tomamos a decisão. O empresário me pede previsibilidade e talvez uma previsibilidade que nós podemos dar é que a gente não quer fechar o Estado, trancar indiscriminadamente todas as regiões. Nós vamos intervir naquilo que é necessário. — afirmou.

 

Os fechamentos vêm acontecendo há três semanas por conta do crescimento do número de casos e mortes no Estado e devido ao colapso em que se encontram os hospitais catarinenses.

> Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

— Nós temos que conviver, é mais de um ano de pandemia e nós temos que aprender a conviver com o vírus. [...] Pandemia não é só saúde. Pandemia é a Fazenda que tem que ser ouvida, é a educação que tem que ser ouvida. Nós precisamos das escolas funcionando, as crianças precisam de fato estar na escola. E assim a gente vai avançando e fazendo — disse em entrevista à NSC TV nesta quarta-feira (17).

— Nós temos mais de R$ 2 bilhões em linhas de crédito pelo Badesc [Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina] e pelo BRDE [Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul] também em socorro das vítimas — afirmou.

O governador disse ainda que trabalha para aumentar a capacidade dos hospitais, e defendeu a vacinação como saída para o fim da crise sanitária. Moisés recebe os governadores do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e do Paraná, Ratinho Júnior, na tarde desta quarta. Entre os assuntos está a articulação para mais doses de vacinas. O gestor catarinense defende uma compra centralizada de doses.

Piora na pandemia

 

Moisés disse que houve uma piora da pandemia por conta da nova cepa brasileira do coronavírus. Segundo ele, a variante é responsável por cerca de 80% dos casos no estado. Até a noite de terça-feira (16), 8,9 mil pessoas haviam morrido por conta da doença no estado. O número de pessoas contaminadas no período chegou a 740.856.

Segundo Moisés, a pactuação de novos leitos em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) não consegue vencer a alta demanda da doença. Mas afirmou que as pessoas que aguardam por um leito especializado estão sendo tratadas de forma muito parecida. São 442 pacientes à espera por vagas no estado.

> Florianópolis volta atrás e permite permanência em praias até as 18h

 

Na segunda-feira (15), a Justiça Federal decidiu que os técnicos que trabalham no Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes) devem ser os responsáveis por avaliar os pedidos de fechamento de atividades não essenciais por até 14 dias em Santa Catarina para frear o contágio da Covid-19. O governo catarinense recorreu da decisão, pois segundo o governador, os bloqueios penalizam os trabalhadores.

 

Governador

Fonte: NSC

Linha
Player de Streaming

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425