Casal de haitianos é preso em SC por suspeita de matar recém-nascido

 

 

 

 

Bebê nasceu há uma semana e teria morrido entre terça e quarta-feira (16).

 

   

Um casal de haitianos foi preso em flagrante na manhã desta sexta-feira (18) em Blumenau, no Vale do Itajaí. A jovem de 22 anos e o homem de 28 anos são suspeitos de matar o filho recém-nascido.

 

Segundo o delegado responsável pelo caso, Davyd de Oliveira Girardi, o corpo foi encontrado às margens de um rio, ao lado de um campo de futebol no bairro Garcia, na tarde de quinta-feira (17).

“O bebê estava com um lençol amarrado no pescoço. Os legistas confirmaram que a causa da morte foi asfixia por estrangulamento”, detalha o delegado.

 

O homem e a mulher foram presos por homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, impossibilidade de defesa da vítima, asfixia e ocultação do cadáver. O homem está preso no presídio regional de Blumenau e a mulher foi encaminhada para a unidade prisional de Itajaí

 

Bebê tinha dias

O bebê nasceu há uma semana e, conforme a polícia, teria morrido entre terça e quarta-feira (16). No entanto, o casal relatou que a criança morreu no domingo (13). A mulher contou que o filho é do companheiro, mas o homem disse à polícia que não tem certeza disso.

 

O corpo do bebê foi encontrado pela equipe da Polícia Civil após o casal procurar uma unidade de saúde da cidade relatando que o filho havia morrido. No entanto, eles estavam sem a criança. O Conselho Tutelar foi acionado e conduziu o casal até a polícia.

 

 

Versões

O depoimento do casal durou quase cinco horas e foi necessária a ajuda de um interprete. De acordo com o delegado, eles deram versões diferentes do que teria acontecido.

 

“Ela disse que o bebê passou mal e que eles entregaram para o condutor de um veículo que passou em frente à casa deles”, diz Girardi. O homem confirmou a versão da companheira.

 

O casal disse que estava escuro e que, por isso, não saberia dizer para quem entregou a criança. Eles ainda afirmaram que entregar o corpo de um filho para outra pessoa enterrar era um costume no Haiti.

 

“Mas logo eles desmentiram essa versão. O marido alegou que a mulher não queria ter a criança, que queria trabalhar e, por isso, teria matado”, explica Girardi. Segundo ele, o homem informou que estava fora de casa quando o bebê morreu. “ Ele disse que apenas ajudou a levar o corpo e que a mulher matou a criança”.

 

Já mulher deu outra versão. Ela disse que o bebê havia passado mal, morrido espontaneamente e que o marido o enterrou.

 

Lençol no pescoço

O delegado contou que a mulher deu uma explicação para o lençol que estava amarrado no pescoço da criança. “Ela disse que no país deles é um costume, para que a mulher possa ter outros filhos. Mas o interprete já viveu lá e disse que não existe essa tradição”, afirmou o delegado.

 

De acordo com a Polícia Civil, o homem vive há um ano no país e trabalha na área de limpeza de uma fábrica, em Gaspar. Já a mulher estaria há 10 meses no Brasil, os últimos dois meses em Blumenau. Os dois tinham situação legal, segundo informações preliminares da Polícia Civi.

 

A polícia pretende concluir o inquérito em 10 dias.

Corpo estava ao lado de campo de futebol, em Blumenau  (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Redecomsc / (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Img 20150918 wa0084

Fonte: Redecomsc

Linha

Todos os direitos reservados. Rádio Cultura de Xaxim Ltda.              49 3353.2425